2007 – 2013


Os “Transformers” se originaram a partir dos

brinquedos. Acontece que empresas possuem os

direitos de autor da marca, de forma que a

real origem é um tanto misteriosa. Mesmo

assim, a empresa que deu início a tudo foi a

Takara, uma grande empresa de brinquedos do

Japão, que possui muitas séries próprias,

porém, sem muita divulgação. Dentre essas

séries próprias, havia a dos veículos que se

transformavam em robôs.

Eis que nos anos 80, a poderosa empresa

estadunidense de brinquedos, a Hasbro

(responsável por nada menos que a série

“Comandos em Ação”, aqueles soldadinhos que

toda criança dos anos 80 teve um) adquiriu

os direitos de distribuição de alguns

brinquedos da Takara nos EUA. As primeiras

séries que ganharam distribuição foram

Diaclone e Microman.


O grande problema é que os brinquedos não

possuíam um plano comercial concreto. Daí

surgiu uma idéia para promovê-los: fazer um

desenho animado estrelado pelos personagens

dos brinquedos. Assim surgiram os “Transformers”.

A série virou uma febre mesmo no Brasil e em

Portugal a partir de 1987. De início, o

desenho era exibido apenas nas manhãs de

domingo pela emissora Rede Record, e alguns

anos depois, pela Rede Globo, mas sem muito

destaque. Só quando a Estrela ganhou os

direitos de distribuição dos brinquedos e a

Editora Globo começou a publicar as

histórias em quadrinhos, a série se tornou

famosa.

A HISTÓRIA








Tudo se inicia no planeta Cybertron, onde

duas raças de Robôs são criadas: a dos

operários (para manutenção) e a dos

militares (para combate). Acontece, que

havia uma certa rivalidade entre as duas

raças, visto que os militares se julgavam

superiores e os operários não se conformavam

com a condição de ‘escravos’. Os operários

resolvem se unir para lutar pela liberdade,

dando início a uma verdadeira guerra. Os

operários constituem o time dos Autobots

(liderados por Optimus Prime), enquanto os

militares formam os Decepticons (liderados

por Megatron).

Tal guerra se arrastou por gerações,

acabando com as fontes de energia – chamada

Energon, essencial para o sustento dos

robôs. Apesar do esforço, os Autobots se

mostravam em desvantagem, afinal, não foram

projetados para batalha. Vários resolvem

então fugir em busca de novas fontes de

energia, embarcando na nave Arca, porém, os

Decepticons os seguem na nave Nêmesis.

Após uma perseguição no espaço, quando as

naves são atingidas por meteoros, tendo o

interior danificado e os sistemas

desativados, elas seguem sem rumo pelo

espaço, quando um campo gravitacional as

atrai para o planeta Terra. Cerca de 4

milhões de anos se passam sem sinal de os

tripulantes das naves despertarem. No ano de

1984, uma erupção vulcânica acaba por

reativar o Teletran 1, o computador mãe da

nave Arca, iniciando os reparos em seu

interior.

Por acaso, Skywarp, um dos Decepticons,

estava caído sobre a mesa de reparo,

ativando o sistema de reestruturação de

Teletran 1. Esse sistema emite um satélite

até a atmosfera, procurando formas que

poderiam ser utilizadas como camuflagens

pelos robôs na terra. Analisando o planeta,

o computador identifica muitas formas

mecânicas, principalmente de veículos

variados, e as utiliza para reconstruir o

robô danificado na mesa. Skywarp é então

reativado, assumindo a forma de um avião

F-15 Eagle. Vendo a maneira de ressurgir no

novo planeta, Skywarp coloca seus

companheiros Decepticons, um a um, na mesa

de reparo, transformando-os em veículos com

o poder de reassumirem suas formas

robóticas.

Megatron e sua equipe, reativados, resolvem

abandonar a nave e deixam para trás os

Autobots, desativados, soterrando a nave.

Acontece que durante esse soterramento, a

nave é estremecida, e ninguém menos que o

líder dos Autobots, Optimus Prime, cai na

frente do sensor de Teletran 1, sendo

reativado na forma de um caminhão.

Posteriormente, Teletran 1 reativa os

Autobots remanescentes.

Em solos terrestres, os Decepticons

descobrem que o planeta é rico em fontes

naturais de energia e acabam por espalhar o

caos no planeta, com o intuito de

reabastecer suas tropas no planeta Cybertron,

usando a energia da Terra. Entretanto, os

Autobots não deixarão eles se aproveitarem

da energia alheia tão facilmente, resolvendo

detê-los. Enquanto isso, os veículos-robôs

se mantém em constante contato com a raça

humana.



EVOLUÇÕES

Tal transformação dos robôs se dá pelo fato

de um processo evolucionário do planeta

Cybertron, que fez com que as máquinas

assumissem novas formas para camuflagem ou

para melhor desempenhar suas tarefas (ex: se

transformar em um submarino para suportar as

pressões oceânicas). Assim, quando os

Autobots e os Decepticons vêm a terra, eles

assumem formas de máquinas e armas

terrestres – no caso, veículos, além de

metralhadoras, etc. -, sempre dotados de

vida própria e livre arbítrio.




Variados tipos de Transformers surgiram,

inclusive, alguns com características

femininas, dependendo da tarefa que

desempenhavam. Ainda assim, não há como

comprovar que exista diferença de sexo entre

eles, pois eles não se reproduzem de maneira

sexuada.

Os processos de evolução de uma espécie

robótica podem ser captados através de uma

atualização nos mecanismos de hardware dos

Transformers. Tal evolução pode ser algo

radical, como uma habilidade extra (voar,

por exemplo), ou alterações de

personalidade, com algo simples, como sua

cor. Exatamente por abordar o quesito

‘evolução’, até hoje é uma incógnita se

existe apenas uma, ou se há várias "espécies

Transformers".

Confira alguns modelos evolutivos de

Transformers que já surgiram:

– Robôs humanóides sem livre arbítrio. Não

considerados formas de vida.

– Robôs humanóides com livre arbítrio

oriundos da agregação de uma alma a robôs

comuns. Em português, esta alma também é

chamada centelha. A alma de um Transformer

seria gerada através do computador Vector

Sigma, que originou indivíduos com

comportamentos e personalidades distintos.

Já nesta fase existe a divisão entre os

robôs operários (Autobots) e robôs militares

(Decepticons). A partir deste momento,

pode-se afirmar que mais uma forma de vida

surgiu no universo.

– Robôs com capacidade de transformação.

Esta nova mudança permitiu o acesso a

ambientes hostis, disfarce e espionagem e a

realização de tarefas mais específicas. Daí

a origem do nome da série, "Transformers".

– Robôs com capacidade de vôo na forma

robótica humanóide. Antes dessa evolução,

alguns Transformers poderiam voar apenas

caso se transformassem em veículos voadores.

– Robôs de maior porte formados pela união e

operação conjunta de vários Transformers.

Exemplos: constructicons, aerialbots.



 


Deixar um Comentario

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: